Palestras - Agosto 2009
Agosto 2009

PALESTRA : “ A HORA CHEGOU...MEISHU SAMA,  PRECISO CRESCER ESPIRITUALMENTE.... PRECISO MUDAR DE NIVEL”
 
Bom dia a todos!!!
 
Mês passado, estive em viagem missionária em Angola, junto com o Reverendo Arouca dos Estados Unidos. Foi uma experiência indescritível e graças a Deus e Meishu Sama, outorgamos 8 novos membros da Arte do Johrei e um novo Ministro, abrimos 03 núcleos, mas com certeza, pelo que senti, em breve inúmeras casas de difusão e muitos membros surgirão ali e em outros países da África.
 
A fé que senti das pessoas com quem conversei me comoveram e por vezes tive que conter a emoção.
 
Lá em Angola me lembrei de uma experiência de fé de um ministro que conheci há alguns anos atrás e toda vez que conto me emociono e ilustra bem a primeira parte do salmo de hoje e é um alerta sobre nossa missão, sobre nosso compromisso com Meishu Sama, quando nos outorgamos com o ohikari:
 
Sem forças, sem bengala
e sem lanterna, como posso caminhar?
Apoiando-me em Deus.
 
 
“ Um jovem ministro foi designado a servir em um país da Europa e se não em engano, tinha dinheiro para se manter apenas alguns meses até começar a difusão propriamente dita. Seu superior lhe disse que se não conseguisse, que ligasse e voltaria imediatamente para cá.
 
No início, mal falando o idioma, estava empolgado, hospedou-se numa pensão e diariamente saía para fazer difusão. Mas no final do dia, nada, nenhum johrei ministrado. Meses se passaram e nada...e finalmente o dinheiro acabou. Certa vez chegando a noite na pensão, sem dinheiro, com fome e frio, suas malas estavam na rua, e ele sem ter onde ir, foi para a estação de trem, onde dormiria num banco.
 
Lá chegando, ficou sofrendo calado e inconformado, não queria desistir, implorava a Meishu Sama, não queria retornar e sentir-se um fracassado.
 
De repente, aproxima-se um mendigo e lhe pergunta: “ – Amigo, você tem fome? – ele responde : - Sim..
O mendigo tira do bolso do casaco um pão velho e duro e lhe oferece: - Então come do meu pão...
- Você tem sede?  Ele responde: - Sim..
O mendigo tira do outro bolso, uma garrafa de cerveja e toma um gole e oferece a ele: - Então toma de minha cerveja..
 
Em seguida ele se retirou e foi embora. Nesta hora, esse ministro em um choro compulsivo, implorava a Meishu Sama uma nova oportunidade, chorou muito.. até mesmo no dia em que me relatou sua experiência.
 
Dormiu no banco e de manhã, implorou mais uma vez a Meishu Sama que lhe desse mais uma oportunidade. Ao sair, na primeira casa que bateu, encontrou uma senhora e lhe ofereceu Johrei. Ela disse que podia entrar, pois havia uma pessoa enferma em casa. Depois relatou a senhora sua experiência e seu desejo de levar a Luz do Johrei aquele país. A senhora vendo o resultado, ofereceu-lhe um quarto e ai começou a difusão naquele país.
 
Anos se passaram, esse ministro já casado e com filhos estava um dia fazendo compras num supermercado, quando viu uma pessoa sendo colocada para fora e para sua surpresa, reconheceu o mendigo que o havia ajudado anos atrás.
 
Saiu correndo e abraçou o mendigo aos prantos, repetindo:
- Você salvou minha vida, mas salvou principalmente minha missão ! Muito obrigado, vamos entrar e encher quantos carrinhos o senhor quiser, é o mínimo que posso fazer para lhe agradecer o que fez por mim. Todo mundo espantado vendo aquele senhor mal vestido sendo abraçado por um jovem arrumado, chorando feito criança e enchendo dois carrinhos do que havia no mercado. Levou tudo para o abrigo onde o mendigo vivia. Ele sumiu depois e nunca mais se viram. Quando ele nos relatou isso, aos prantos e nós também..rsrs, disse que aquilo marcou sua vida, pois aquela pessoa salvara sua vida num momento de desespero, comeu um pão velho e duro e matou sua sede, mas principalmente, ele salvou sua missão e hoje é um grande ministro na Europa.”
 
Ai vem a segunda parte do salmo:
 
Eu me havia desviado da estrada
e tropeçava, desnorteado, no lamaçal das incertezas,
quando fui salvo e banhado pela Luz de Deus.
 
 
Agora pensem vocês, será que vai ser necessário vivenciarmos algo parecido, termos que passar por sérias provas até encontrar alguém que nos salve e principalmente nos faça acordar para nossa real missão?
 
Em Angola senti isso e me alertou sobre a missão dos ministros, mas também dos membros, será que estamos cumprindo nosso papel de acordo com a vontade de Meishu Sama ou ainda estamos num nível mesquinho de fé?
 
Lá muitos membros chamam seus ministros de pai, pai espiritual. Quantos de vocês, quantos de nós temos essa referência em nossos ministros e reverendos?
Mesmo os membros, quantas pessoas em essa visão dos senhores, pela dedicação que dispensam a elas, oferecendo Johrei e orações por sua felicidade?
 
Infelizmente o nível de egoísmo ainda é maior do que o altruísmo. Encontrei num trecho da palestra de um Reverendo antigo que ilustra bem esse sentimento:
 
“Alguns de nossos membros dizem que são gratos por professarem a Fé Messiânica mas não têm coragem suficiente para transmiti-la a outrem. Isso está fundamentalmente errado. Essa fé não é suficientemente forte e eles não são realmente gratos; eis porque demonstram tal atitude. Acontece o mesmo com um membro que só dedica em qualquer espécie de atividade quando está acompanhado de outros membros, pois não consegue fazer nada sozinho.
Um tipo positivo de pessoa esquece-se de si mesmo, eis porque Deus o utiliza sempre. Por isso, a graça também é abundante.
O desenvolvimento da Obra Divina de agora em diante depende do estabelecimento de mais igrejas por todo o mundo e da formação do elemento humano que irá trabalhar tendo em vista o mundo inteiro. Portanto, não podemos escolher aqueles que estão pensando somente em sua própria salvação ao cuidar de outros membros e muito menos ainda, em colocá-los na posição de dar orientação religiosa.
Não é hora de você ficar discutindo o óbvio como “eu tenho muito amor próprio” ou “eu sou egoísta, por isso não posso realizar o trabalho de salvação”. Se você se dedicar de corpo e alma em salvar o próximo, seu amor próprio desaparecerá sem você notar. Dê o primeiro passo agora. A idéia é que você pode progredir e melhorar a si mesmo enquanto estiver praticando essas atividades de salvação. “
Em outro trecho diz assim:
 
“As pessoas sofrem porque têm muito apego, são egoístas, materialistas e ingratas. No mundo espiritual, o maior aprimoramento é diminuir o apego para que o espírito fique leve e possa se elevar. Como o apego está fortemente enraizado em nós, se não o eliminarmos teremos muitos problemas.
 
Além disso, o apego, o materialismo e o egoísmo influenciam nossos antepassados, tornando-se um peso para eles. Muita gente pensa que são eles que nos atrapalham, mas é o contrário. Nós é que muitas vezes, lhes causamos dificuldades. Não basta orar muito, pedindo por sua elevação e salvação. Temos de diminuir nossas máculas, se quisermos que eles sejam felizes. Para poder combater esses elementos negativos, o principal fator é a gratidão. Ela gera Luz.
 
Meishu-Sama afirmou: "O coração agradecido comunica-se com Deus". Quando essa comunicação se estabelece, o que Deus nos concede? Luz, que purifica as máculas e, ao mesmo tempo, fortalece nosso espírito primordial, que é Bem absoluto e nos impele a trabalhar cada vez mais e melhor, tornando-nos úteis à Obra de Deus.
 
Se não houver gratidão em nosso coração, com quem nos comunicamos? Com Satanás. Se estamos ligados à ele, o que ganhamos? Máculas espirituais, que fazem com que nosso materialismo, apego, egoísmo e ingratidão ganhem cada vez mais força. Nosso espírito secundário também se fortalece e isso nos afasta cada vez mais do caminho de Deus. Por isso, o único caminho é fortalecer cada vez mais nosso sentimento de gratidão. Essa é a melhor semente de felicidade que poderemos plantar.”
 
Quando você reconhece isso sozinho ou através de orientação, mesmo que seja uma repreensão, você muda. Um servidor de Meishu Sama relatou assim uma bronca que levou:
 
“ Sempre recebíamos repreensões, mas estas não eram de caráter negativo. Ele o fazia de uma forma muito agradável, de modo que por outro lado aquelas serviam de incentivo para nós. Era só percebermos o erro e o caso era dado por encerrado. A sua reprimenda nunca era persistente. “
Infelizmente tem muitos membros e  ministros que ao serem repreendidos, nunca desrespeitados, ficam melindrados e diminuem a dedicação ou mesmo se afastam. São pessoas fracas, passivas. O tipo de pessoa passiva é aquela que pensa em tudo do ponto de vista de sua própria conveniência. Faz o que lhe é conveniente mas não faz o que não lhe convém. Poderá realizar algo se sentir confiança, mas não mostrará interesse se estiver insegura.
Isto significa que o padrão de seu comportamento é sua própria conveniência ou preferência e não um padrão centralizado em Deus. Portanto, suas atividades são irregulares.
 
Mas quando a consciência da mudança e a confiança em Meishu Sama se materializam, a vontade de fazer, o desejo de salvar se multiplica infinitamente e a parte final do salmo de hoje diz:
 
Grande é a ventura que me cerca.
Como agradecer?
 
A hora chegou, vamos rever nossos conceitos e nossa missão, ver onde temos que mudar e finalmente sair a luta, tendo Meishu Sama a nossa frente, nos conduzindo e com certeza encontraremos uma porta que já estará preparada pelo plano espiritual e falta apenas termos a coragem de entrar.
 
Boa missão a todos!!!
 
 
Reverendo Dorgival

Newsletter
Cadastre seu e-mail e receba novidades exclusivas.
Nome: 
E-mail: 
Cidade: 
6785 Informe o
código ao lado:
 
 
Fone:
55 (11) 4227-4401 / 2341-2508
E-mail:
info@artedojohrei.org.br
Chat:
Fale Conosco
 
 
ASSOCIAÇÃO RELIGIOSA ARTE DO JOHREI
Rua Ibitirama - 629, Vila Prudente. São Paulo/SP.
55 (11) 4227-4401 - 2341-2508
info@artedojohrei.org.br
 
Sobre
Mais
- Arte do Johrei - Johrei
- Meishu Sama - Anima
- Divindades - Ensinamentos
- Donativos - Palestras
- Programação - Experiência de Fé
- Revista Makoto - Unidades
O SITE ARTE DO JOHREI - 2009/2014 - Todos os direitos reservados.