Palestras - Julho de 2015
Julho de 2015
PALESTRA: Nossa casa será a prova viva da fé que nós professamos.
 
 
Boa noite a Todos!
 
 
Começo a minha palestra com uma pergunta feita a um Reverendo anos atrás:
 
“Quando pedimos perdão a Deus em nome dos Antepassados, pelos pecados cometidos e nos aproximamos de sua vontade, a influência negativa será desfeita e os Antepassados serão salvos”. Gostaria de receber orientação de como poderíamos pedir perdão a Deus pelos pecados cometidos pelos nossos Antepassados.
 
Nós, os descendentes, devemos pedir perdão dos pecados dos Antepassados. Não é posicionarmos diante do Altar e pedirmos “Perdão por nossos Antepassados” é necessário que nós mesmos possamos nos esforçar nessa missão de sermos úteis aos outros, trabalharmos pelo bem de um grande número de pessoas. Mantendo sempre, realizando atuações altruístas, então para obter completamente perdão desses pecados, de acordo com o grau de pecado que o Antepassado tenha cometido temos que nos empenhar muito na salvação da humanidade. E nessas ações, achamos que muito do que praticamos foi útil, mas na realidade acaba não sendo, e termina por sermos odiados por isto, achando que estava praticando o Bem e, no entanto era mal.
 
Dentro desta orientação, buscando melhorar nossa evolução espiritual e de nossos ancestrais, vamos iniciar este mês de julho, uma nova atividade mensal, voltada para as famílias. Será sempre no terceiro sábado do mês e se encerra com o Culto da Prosperidade. Muitas reuniões do lar estão sendo agendadas e o objetivo é fazer com que as famílias sejam resgatadas e reestruturadas, superando suas dificuldades.
Por isto neste culto, coloquei como tema, a família. No ensinamento de hoje Meishu Sama diz: “ Se cada família for protótipo do Reino do Céu na Terra, a humanidade inteira estará salva. Tal maneira de pensar nunca deixou de existir, mas a concretização desse ideal foi sempre considerada impossível. Agora, porém, com a manifestação do poder de Kannon, isso tornar-se uma realidade presente.”
 
Frequentemente devemos questionar qual a importância que estamos atribuindo à nossa família, o que revelará o quanto estamos contribuindo para um  mundo melhor. A própria Constituição Federal nos traz a família como a base da sociedade e, portanto, se os núcleos familiares estiverem  saudáveis , a sociedade também estará. É por isso que cada um de nós tem sua parcela de responsabilidade sobre todos os acontecimentos sociais, ainda que indiretamente.
 
Para promovermos  a paz social,  devemos começar promovendo-a dentro de nossos próprios lares. Muitos entendem que a "paz"  seja a tradução do "cada com seus problemas" ou do "cada um na sua", no entanto, a paz abarca o exercício de muitas virtudes.  O que vai diferenciar a prosperidade moral e emocional de cada família é justamente o modo com o qual seus membros enfrentarão esses desafios.
 
O que vai nortear estas visitas aos lares, é um material baseado nos ensinamentos de Meishu Sama, que vamos dar vida. Nele constam os quatros pilares que nos direcionam à construção de um Lar de Luz são:
 
Primeiro Pilar — "Lar repleto de gratidão"
- Lar em que todos os membros da família nutram gratidão recíproca;
- Onde cada um dos membros da família tem gratidão pelas dádivas da Natureza, assim como pelas vestimentas, alimentação, moradia e relacionamentos pessoais;
- Lar em que todos manifestem gratidão em suas ações, praticando o bem ao seu próximo;
- Lar cujos membros sentem que avançam rumo à felicidade e que agradecem esse ensejo;
-  Lar em que todos consigam denotar a Vontade Divina por trás de tudo o que ocorre e que, devido a isso, são agradecidos;
- Lar fundamentado na gratidão, primeiro pelo fato de se estar vivo; agradece-se por tudo que ocorre no dia-a-dia, o que, por certo, foi preparado por Deus;
- Lar em que se coloque a gratidão como base da sua forma de viver no mundo da Nova Civilização. Gratidão representa o caminho para a felicidade, baseado na Ciência Espiritual.
 
Segundo Pilar — "Lar alegre e bonito"
 - Lar alegre, saudável, abastado e belo;
 - "Alegre", aqui, significa que "transmite uma sensação agradável, de alegria; estado de pleno contentamento";
 - Lar que deleita através das artes e das dádivas divinas, a começar da beleza da natureza;
 - Lar que deleita através da prática e da forma de viver espelhadas na Natureza;
 - Lar que deleita através dos Três Grandes Empreendimentos;
 - Lar onde tudo está bem limpo e organizado (o que purifica e organiza o Mundo Espiritual);
- Há Belo nos sentimentos, nas palavras e nos atos; Belo na forma, na higiene e na saúde física e mental (inclusive na forma pela qual os membros da família, inconscientes, passam a se entender mesmo que não se comuniquem).
 
Terceiro Pilar - "Lar onde há diálogo e compreensão"
- Lar em que todos dialoguem sobre qualquer assunto (deve-se ouvir o que cada um na família tem a dizer e não impor somente o próprio ponto de vista);
 
•    As seis regras para um bom diálogo.
- Esforçar-se para que haja compreensão de ambas as partes, com a ciência de que marido e mulher são existências distintas;
- Evitar conversas inoportunas, mesmo entre marido e mulher;
- Escolher o momento certo para conversar sobre determinado assunto;
- Evitar expressões ambíguas, falar claramente;
- Ficar atento mesmo ao sentimento contido nas palavras;
- Certificar-se de que transmitiu exatamente o que queria passar e de que, ao mesmo tempo, compreendeu corretamente o que lhe foi transmitido.
 
 - Lar em que haja compreensão plena e recíproca no diálogo e nos sentimentos;
 - Lar em que haja a compreensão que nasce do diálogo e do ato de ouvir, e, com isso, passo a passo consiga-se educar os filhos conforme o desejo dos pais e também formar elementos humanos que pratiquem os ensinamentos de Meishu Sama  dirigidos à sociedade;
 
Quarto Pilar — "Lar em que se valorizem os vínculos da vida"
- Lar em que se valorizem as coisas invisíveis;
- Lar em que se prezem os antepassados;
- Lar em que se prezem as leis universais, que devem ser respeitadas para que se viva feliz como homem  ("Lei do espírito precede a matéria/ Lei da identidade espírito-matéria", leis da Grande Natureza e do Universo);
- Lar em que se perceba a preciosidade de uma simples refeição, pela qual recebe se a vida da Grande Natureza e compreende-se que tudo provém do suor de muitas pessoas envolvidas tanto na produção como na distribuição.
 
Para conquistarmos uma sociedade mais justa e fraterna, antes devemos conquistar a nossa própria família, oferecendo aos nossos pais, companheiros, irmãos e avós o melhor que existe em cada um de nós, decorando nossos lares com elogios, respeito, alegria, união, gratidão e amor. Uma família que busca em Deus viver bem em seu ambiente familiar, que não padroniza seus conceitos de acordo com o mundo, mas com os princípios da Palavra de Deus.
 
Creio que o desejo do coração de Deus é que toda família da Terra tenha em seu lar, um pouco do céu e seja um testemunho vivo de que Deus é um Deus que abençoa família. Nós, como filhos de Deus, com certeza, almejamos a  prosperidade. E dentro desse desejo, que precisamos estar de acordo com os Ensinamentos de Meishu Sama,  encontraremos desafios, inimigos se levantarão contra nós e contra a nossa prosperidade.
 
Alguém aqui já andou sobre uma rocha? Sabe que não é fácil. Andar na rocha é virar um observador do caminho, um crítico do caminho. Caso contrário, qualquer tropeço pode levá-lo a morte.
 
Por isso, a necessidade de ter os seus pés firmados na Rocha. Somente assim você não será confundido, não será abalado, porque você será cuidadoso. Ninguém anda na Rocha de qualquer maneira. Deus colocará os seus pés sobre a Rocha para você ser criterioso em todos os seus caminhos. Quem anda na Rocha não pode ter pressa, porque se torna cumpridor de princípios. A rocha força o indivíduo a cumprir o princípio da obediência, do cuidado, do zelo. Na rocha, você caminha com cuidado sem precisar que outro venha e diga: “Anda,  rapaz”.
Mas quem é a Rocha? Como messiânico, vejo esta rocha como sendo Meishu Sama. Se você anda com Ele, você não atravessa os lugares pulando de um lugar para o outro. Você cumpre todos os princípios. Portanto, se queremos  prosperar, teremos que  caminhar na Rocha, sair de um plano a outro plano sem perder jamais os princípios básicos da prosperidade. Assim, você e todos os seus descendentes viverão os melhores dias da Terra.
 
O nosso nível de vida, em todas as áreas, conforme a nossa necessidade, mudará absurdamente. Porque seguindo o que Meishu Sama ensina, aprendemos que Quem nos mandou fazer todas as coisas foi o próprio Deus. O que nós precisamos  é sermos fortes e corajosos.
 
Quem ordenou que fossemos  prósperos foi Deus. Isso nos faz entender que a prosperidade tem a bênção de Deus, mas também precisa ter o esforço da nossa parte.
 
Vamos declarar a nossa prosperidade. De acordo com o nível da nossa declaração de fé, Deus abrirá as portas para a nossa vida. Deus, com certeza, construirá algo poderoso na nossa vida. Deus não quer que tenhamos prosperidade em apenas uma rota. Deus quer que tenhamos uma prosperidade integral em todos os seus caminhos.
Deus nos dará prosperidade de paz, alegria, unção, alegria espiritual, prosperidade em família. A nossa família será próspera, nós seremos prósperos como esposa, marido e filhos. Nossa casa será a prova viva da fé que nós professamos.
 
 
Que Deus e Meishu Sama abençoem a todos!!!                                                                                     
                                                      Reverendo Dorgival     
 
 
Newsletter
Cadastre seu e-mail e receba novidades exclusivas.
Nome: 
E-mail: 
Cidade: 
7314 Informe o
código ao lado:
 
 
Fone:
55 (11) 4227-4401 / 2341-2508
E-mail:
info@artedojohrei.org.br
Chat:
Fale Conosco
 
 
ASSOCIAÇÃO RELIGIOSA ARTE DO JOHREI
Rua Ibitirama - 629, Vila Prudente. São Paulo/SP.
55 (11) 4227-4401 - 2341-2508
info@artedojohrei.org.br
 
Sobre
Mais
- Arte do Johrei - Johrei
- Meishu Sama - Anima
- Divindades - Ensinamentos
- Donativos - Palestras
- Programação - Experiência de Fé
- Revista Makoto - Unidades
O SITE ARTE DO JOHREI - 2009/2014 - Todos os direitos reservados.