Palestras - maio 2014
maio 2014
PALESTRA:  "Os valores que tenho na vida são mais fortes do que o desejo que muitas pessoas têm de influenciar e destruir esses valores” Ayrton Senna
 
 
Bom dia a Todos!
 
Hoje dia 01 de maio de 2014, Dia do Trabalho, estamos celebrando nosso Culto Mensal em Ação de Graças. Também hoje é aniversário de 20 anos de falecimento de nosso querido Ayrton Senna..e queria começar minha palestra com uma mensagem dele: “ Há um grande desejo em mim de sempre melhorar. Melhorar. É o que me faz feliz. E sempre que sinto que estou aprendendo menos, que a curva de aprendizado está nivelando, ou seja o que for, então não fico muito contente. E isso se aplica não só profissionalmente, como piloto, mas como pessoa.” Faço dele minhas palavras.
 
O que significa de fato, Culto mensal em Ação de Graças? O que estamos hoje agradecendo? O que estamos aprendendo? O que estamos hoje pedindo através de nossas orações? Porque vim ao Culto? Qual o meu sentimento com relação ao meu Servir?
 
Precisamos refletir, para alcançar a excelência na fé e para isso, temos que buscar nossa Verdade no Servir.
 
A essência da nossa fé é ser instrumento fiel de Meishu-Sama. Para alcançarmos este propósito, temos que fazer uma reforma íntima de nossa fé. Em outras palavras, significa elevar-se para se tornar uma pessoa que Meishu-Sama possa utilizar com facilidade.
 
Para sermos um instrumento fiel de Meishu  Sama, temos que ter uma postura fervorosa na prática do Johrei. Muitos membros e ministros, negligenciam esta prática, que aliás é a principal dentro da Igreja.
E com uma postura assim, este propósito de se tornar um instrumento de Meishu-Sama fica  debilitado. Por outro lado, como elas procuram solucionar os problemas com suas próprias forças, as graças se tornam também pequenas.
 
Os servidores que  vêm ministrando Johrei a um grande número de pessoas diariamente, têm tido maior oportunidade de receber de Meishu Sama, a luz necessária para alcançar êxito em sua missão, e, em conseqüência disso, o pensamento de que são instrumentos de Meishu-Sama se fortalece cada vez mais. E, quanto mais forte for esse pensamento, mais profundamente ele vai se impregnando no coração. Proporcionalmente, essas pessoas terão a permissão de elevar-se e tornar-se úteis a Meishu-Sama, que as utilizará com facilidade. Além disso, receberão magníficas graças.
 
A prática do Johrei,  é que permitirá a abertura do caminho de elevação da fé. Dentro desta orientação, semana passada, conversei com uma pessoa de outro país, onde ela me disse que alguns membros que vinham de uma formação espírita,  tinham a mania de na hora do Johrei, invocar espíritos, para que junto com a ministração do Johrei,  viessem em auxilio através de seus passes. Ela me perguntou se tinha problema, porque o ministro responsável disse que Meishu Sama também utilizava espíritos na cura das pessoas.
 
Eu disse a ela, que isto estava totalmente fora da Verdade. Em hipótese alguma devemos misturar Johrei com qualquer outra atividade. Se uma pessoa age assim, está desrespeitando a casa de Meishu Sama e também a sua missão. Coloca até a espiritualidade em descrédito, porque vulgariza o servir dos médiuns e mentores. Ela perguntou se na Arte do Johrei, temos incorporações e  se utilizamos espíritos em nossa dedicação. Fiquei muito preocupado com esta pergunta, com esta situação vivida por estes  membros num país africano. O que estão fazendo com o legado de Meishu Sama? O que fizeram com os ensinamentos divinos, transcritos por Ele?
 
Expliquei, usando os ensinamentos, que nós ministramos Johrei e não damos passe. Nós somos espiritualistas. Pensando nesta postura errada de Servir, de utilizar o Johrei erroneamente, reafirmo que temos que estudar mais e mais os ensinamentos. Se virmos alguém agindo assim em alguma das unidades da Arte do Johrei, temos que pedir que a pessoa pare imediatamente. Temos que orientar e corrigir a postura, afinal, não podemos errar por omissão.
 
Muitas vezes as pessoas agem pensando estarem fazendo um bem, mas se olharmos a vida delas, veremos que estão vivendo num grande inferno, por vezes, o próprio espírito secundário as utilizam, e as mesmas ficam cegas, achando que suas visões, seus dons, vão ajudar aquela pessoa. Na hora do Johrei, a atuação é do próprio Deus, afinal estamos falando da Luz Divina, então devemos nos manter serenos e respeitosos nesta hora.
 
Meishu Sama ensina que todas as pessoas têm um espírito secundário para poderem permanecer aqui no mundo material. Sem eles, o ser humano não teria conseguido sobreviver nesta Terra, porque o Espírito Divino não têm desejos físicos. A função da nossa consciência divina é somente de ligação com Deus, para receber os pensamentos e a vontade divinos.
 
Há uma história muito interessante. Um mestre hindu, falecido há pouco tempo, se encontrava num estágio de iluminação e de união perfeita com Deus. No entanto, tinha o estranho hábito de pegar, escondido, comida na cozinha. Certo dia sua esposa chamou-lhe a atenção. - Como o senhor faz isso? Todos o consideram um iluminado. Não deve apanhar a comida! E ele respondeu: - A única coisa que me prende nesta Terra é a comida. Por isso, preciso me esforçar para agir assim. No momento em que não mais fizer isso, irei desencarnar. Mas ainda tenho algumas coisas para fazer, antes de terminar a minha missão. Por isso, deixe-me ir tranquilo, à cozinha.
 
Restou apenas ao mestre esse mínimo desejo. O ser humano, entretanto, em vez de dar importância à Parte Divina, vive somente como animal, preso aos desejos e apetites. Por isso sofre muito.
 
No salmo de hoje, Meishu Sama diz: “Eu executo um grandioso trabalho de salvação que nunca homem santo algum pôde imaginar.
Que magnífico!  No mais fundo do profundo plano divino, ocultam-se insondáveis mistérios de amor.
Foi este mundo sempre dominado por culturas inferiores.
Eu vou trazer outras de origem celestial.”
 
Encontrei um trecho  de uma palestra de um reverendo onde ele faz a seguinte colocação: “ Para o ser humano sobreviver neste mundo, Deus deu-lhe um espírito secundário que governa suas funções e desejos corporais. A maior missão do espírito secundário é trabalhar. O espírito primordial faz apenas o essencial. Se Deus criou o homem assim, é por que se trata de um mal necessário. Mas como o espírito secundário está ligado por meio de fios espirituais ao mundo dos Jashins,  é manipulado, à vontade, por eles. Dessa forma, estamos também ligados ao lado do mal. Através do nosso espírito secundário, que se manifesta por desejos corporais e materiais, ligamo-nos, pelo fio espiritual, com as forças malignas.
        
 Quando a pessoa está num nível superior de espiritualidade, surge, uma entidade maligna em grau semelhante para tentá-la. Isto é muito difícil de entender, mas no reino divino, assim como no mundo maligno, existe essa hierarquia, rivalizando-se no mesmo grau o bem e o mal. Mesmos os grandes mestres tinham os seus inimigos. No caso de Jesus, era o próprio Satanás. Meishu Sama e Buda também os enfrentavam. De acordo com o grau de evolução, vem um oponente à altura. Vencendo-se os obstáculos, pouco a pouco, evolui-se e, em consequência, surge outra entidade maligna do mesmo nível.
 
Quando estamos num nível espiritual inferior, a entidade maligna é do mesmo nível, mas quando começamos a entender o mundo espiritual, adquirindo assim mais luz e maior poder espiritual, outra entidade mais forte vem nos perturbar. Não há como escapar. Somente Deus supremo está isento dessa luta. Todas as entidades divinas têm oposição do mesmo nível. Por isso, ao observarmos a história da humanidade, verificamos que sempre houve a luta entre o bem e o mal.
 
Teremos em Junho, no dia 15, o culto da Celebração do Reino do Céu na Terra. No dia 15 de junho de 1954, Meishu Sama realizou seu último Culto, onde anunciou o Advento da Vinda do Messias. Temos que entender que este não é um Culto comum...apenas especial, é um Culto de mudança de posição, de mudança de nível.  Vamos nos colocar na posição que disse no começo da palestra, de sermos verdadeiramente instrumentos de Meishu Sama, por isso, peço a todos que neste culto se preparem para também anunciarem a sua mudança, o seu advento. Que a partir de 15 de junho, sejamos novos seres, renascidos com um novo propósito.
Minha ligação com Meishu Sama  é como se fosse de pai para filho...busco nele muito mais...Vejo dirigentes falando de Meishu Sama, mas que nas palavras ditas, não  sentimos  nada, não tem peso de Verdade. Minha busca é intensa e dolorosa como se fosse uma via sacra,  mas eu quero encontrá-Lo na essência, não na imagem passada futilmente. Chega de discursos vazios.
 
Cuidado com as orientações que aprisionam os membros pelo medo ou pela culpa, e se escapar de alguma delas, são pegos pela ganância. Meishu Sama é pleno, ele não pede sacrifícios absurdos, ele não oferece riquezas fictícias, ele não promete redenção de seus pecados através de sacrifícios monetários para compensar sua “ falta de fé ”. Ele precisa apenas que você SEJA de fato um verdadeiro servidor, alguém que HONRE seus ensinamentos, e, quando de fato, for agradecer, o faça por  AMOR, o faça por GRATIDÃO, NUNCA  por medo, culpa ou ganância.
 
Mais uma frase do Ayrton Senna que se encaixa no que acabei de dizer:  "Os valores que tenho na vida são mais fortes do que o desejo que muitas pessoas têm de influenciar e destruir esses valores”
 
Vejam um exemplo de como FAZER SUA IGREJA FRACASSAR:
 
Não freqüente a Igreja, mas quando for lá, procure algo para reclamar.
Se comparece a qualquer atividade, encontre falhas no trabalho de quem está lutando pela obra de Deus, entretanto, sem indicar o caminho para corrigir as mesmas.
Nunca aceite incumbência, lembre-se de que é mais fácil criticar do que realizar. Se os líderes pedirem a sua opinião sobre o assunto, responda que não tem nada a dizer. Depois, espalhe como deveriam ser as coisas.
Não faça mais do que somente o necessário. Porém, quando os líderes estiverem trabalhando com boa vontade e com interesse para que tudo corra bem, afirme que sua Igreja está dominada por um grupinho.
Não leia os cartazes no mural da Igreja e muito menos ouça os avisos. Afirme que ambos não trazem nada de interessante, e, melhor ainda, diga que não os recebe regularmente.
Se for convidado para uma dedicação qualquer, recuse alegando falta de tempo e depois critique com afirmações do tipo : "Essa turma quer é ficar sempre nos mesmos cargos ...".
Quando tiver divergência com um líder, procure com toda intensidade impor-se.
Coloque-se sempre na posição defensiva ou de ataque.
Sugira, insista e cobre a realização de cursos, palestras e novas programações. No entanto, quando a Igreja realizá-los, não se inscreva nem compareça.
Se tiver oportunidade de dar sugestões, não o faça. Se a liderança não adivinhar as suas ideias e pontos de vistas, critique e espalhe a todos que é sistematicamente ignorado.
Após toda essa colaboração espontânea, quando cessarem as publicações, as reuniões e todas as demais atividades, enfim, quando a Igreja morrer, estufe o peito e afirme com orgulho:
Eu não disse?
 
Vamos refletir e rever nosso sentimento, para fazermos do dia 15 de junho, o início de uma Nova Era em nossas vidas!!
 
Que Deus e Meishu Sama abençoem a todos!!!                     
                                                      Reverendo Dorgival     
 
Newsletter
Cadastre seu e-mail e receba novidades exclusivas.
Nome: 
E-mail: 
Cidade: 
7833 Informe o
código ao lado:
 
 
Fone:
55 (11) 4227-4401 / 2341-2508
E-mail:
info@artedojohrei.org.br
Chat:
Fale Conosco
 
 
ASSOCIAÇÃO RELIGIOSA ARTE DO JOHREI
Rua Ibitirama - 629, Vila Prudente. São Paulo/SP.
55 (11) 4227-4401 - 2341-2508
info@artedojohrei.org.br
 
Sobre
Mais
- Arte do Johrei - Johrei
- Meishu Sama - Anima
- Divindades - Ensinamentos
- Donativos - Palestras
- Programação - Experiência de Fé
- Revista Makoto - Unidades
O SITE ARTE DO JOHREI - 2009/2014 - Todos os direitos reservados.