Palestras - Maio de 2015
Maio de 2015
PALESTRA: Servos de Deus, servos uns dos outros!
 
 
 
Bom dia a Todos!
 
 
Hoje dia 01 de maio, ao nos reunirmos para este Culto Mensal, pensemos o porquê de estarmos aqui, somos realmente, como diz o salmo de hoje, Servos de Deus?
Porque vim orar? Porque vim agradecer? Porque fiz meu donativo, minha oferta, meu dizimo? Ele foi feito com alegria ou porque entendi que poderei me beneficiar  se os entregar no altar? Qual meu propósito para este mês que se inicia?Quanto vou agradecer pelas pessoas que encaminhei este mês para Obra Divina? Quantas pessoas devem estar hoje, orando em gratidão a mim, por tê-las encaminhadas para esta Obra?
 
Muitas pessoas pensam que ser servo é ser escravo. O servo é  numa linguagem mais simples, um escravo limitando-se a fazer o que lhe é determinado. Não conhece os segredos do coração do seu Senhor pelo que não beneficia de Sua intimidade.  Sempre está na expectativa de uma palavra profética porque não sabe as intenções do Senhor para consigo. Procura obedecer a Deus cumprindo os mandamentos da Casa do Senhor, como por obrigação,  com medo de transgredir ou desagradar e sofrer as consequências.
 
O salmo de hoje diz:
“ Seja instrumento horizontal, ministrando Johrei com amor.
Vertical, divulgando os Ensinamentos.
Um servo de Deus segue somente o que o Pai ensina
e enfrenta, com paciência, qualquer situação.
Quem se dedica à Obra divina não se preocupa
com o futuro, nem lamenta o passado.”
 
Somos servos de Deus, servos uns dos outros; esse é o nosso chamado. Dentre tantos exemplos de servos de Deus na Bíblia, fica claro que só podemos servir a Deus, servindo aos homens, não há como ser diferente.
 
O objetivo de ser servo é servir a Deus, ao Reino, às pessoas. Nosso serviço tem um retorno de satisfação tamanha: ganhar o maior número possível de vidas para o Deus. Essa é a nossa função e deve ser a nossa visão como nascidos de novo. Se fomos alcançados é porque alguém decidiu servir e pagar um preço por nós. Basta pensarmos em como éramos quando aqui chegamos e graças a uma pessoa que se preocupou conosco, nos encaminhou e nos ajudou a mudar nosso nível espiritual.
 
Você já se perguntou se está servindo a Deus e Meishu Sama de modo correto? Se sua postura encontra eco nos ensinamentos? Está empenhado em encaminhar pessoas para juntos, unidos, dedicarmos com o propósito de criar  o Reino de Deus aqui na Terra?
Mas, se criar este Reino é uma ordenança do próprio Deus, que escolheu Meishu Sama como nosso Salvador e a igreja é um modelo, então por que muitos ministros, responsaveis e membros,  fracassam juntamente com seu  grupo?
A resposta é uma só: falta de consagração (dedicação). Se desejamos edificar o Reino de Deus através das igrejas,  com objetivo que elas cresçam e se multipliquem, precisamos ser líderes consagrados. Todos os nossos problemas, dificuldades e lutas relacionam-se com a consagra­ção. Quanto mais sossego e conforto desejo para mim, menos consagrado preciso ser. Ao mesmo tempo que ao querer que Meishu Sama expresse em mim e através de mim,  devo consagrar-me (dedicar) mais a Ele.
 
Qual a diferença entre santificação e consagração? A santificação é subjetiva, ou seja, pessoal, ela está relacionada com a nossa conduta, nossa vida moral e nossas escolhas, mas a consagração está relacionada com a nossa dedicação. Ser consagrado significa ser dedicado exclusivamente para algo. Nós podemos tanto consagrar-nos a Deus como nos consagrar-nos a uma carreira profissional, a um esporte ou a arte, etc. Existem os que se consagram ao mundo e os que se consagram a Deus.
 
A maioria das pessoas se preocupa com santidade, isso é bom e necessário, mas às vezes não se importam com a consagração nesse mesmo nível. Aliás, muitos até reprovam quando alguém é completamente consagrado à obra de Deus. O mundo até admira crentes santos, mas odeia crentes consagrados, porque são os consagrados que fazem a diferença. Se o mundo não nos causa problemas hoje é porque não somos tão consagrados quanto deveríamos ser.
 
O mundo perseguiu os apóstolos de Cristo, perseguiu e  prendeu Meishu Sama na cadeia, e por isso, deveria nos perseguir também. O mundo é o mesmo de ontem e de hoje, nós é que temos sido muito menos consagrados que eles.
Pessoas santas não incomodam o inferno, mas pessoas consagra­das são um grande problema para o mal. Não estou dizendo que a santidade não seja importante, muito pelo contrário; apenas quero mostrar que há muitas pessoas religiosas que vivem uma vida santa, mas que não representam uma ameaça ao inferno, pois vivem a santidade fechado em seus lares. O mundo até admira pessoas íntegras, corretas e santas, mas a quem persegue mesmo são os consagrados. Evidentemen­te, ter santidade é fundamental; mas, sem consagração, a obra de Deus não avança.
 
Somente pessoas consagradas (dedicadas) realizam algo significante para o Reino de Deus. Na igreja, há pessoas que querem ajudar a construir o Reino de Deus, mas por não serem realmente consagradas,  seus feitos são poucos e muito lentos. Os não consagrados fazem para Deus, mas somente com o tempo que lhe resta de suas atividades particulares. Para estes o Reino de Deus nunca está em primeiro lugar, pois ele se declara que nunca tem tempo. Vale lembrar que Deus só usa o que ele tem de você para usar. Quanto você tem dado a Ele? Pois esse é o tanto que Ele tem de você para usar.  Na Biblia, tem um trecho de Lucas que diz: “Vendo as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam aflitas e exaustas como ovelhas que não tem pastor. E então se dirigiu a seus discípulos e disse: Na verdade, a seara é grande, mas os trabalhadores são poucos; rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara”.
 
A maioria dos grandes religiosos, desde os apóstolos de Cristo, os discípulos de Buda, de Meishu Sama e de tantos outros, eram  pessoas consagradas, totalmente íntegras e corretas, por isso sofreram tremendamente. Eles não faziam concessões à Palavra de Deus. Observamos que não há persegui­ção quando há concessão. Hoje, muitos de nossos  religiosos fazem concessões para ficar de bem com todo mundo. Não querem ser chamados de desequilibrados, fanáticos ou radicais e, por isso, fazem concessões, e com isso negam o Evangelho do Meishu Sama.
 
Toda pessoa consagrada é tida como radical; toda pessoa consagrada atrai resistências. A atitude de uma pessoa consagrada confronta e incomoda quem não é. Os transtornos e problemas resultam de nossa consagração. Se nos consagramos para a obra de Deus, com certeza sofreremos pressões, aflições, infidelidades, dificuldades financeiras e até perseguições, mesmo por aqueles que se dizem irmãos. Se não queremos sofrimento basta não nos consagrarmos à obra do Divina.
 
O que precisamos hoje são líderes consagrados à Causa de Deus e Meishu Sama e ao Seu propósito nesta geração. Na igreja precisamos de líderes com uma dedicação absoluta. Se temos tais líderes, essa geração é tocada pelo poder de Deus e então veremos o crescimento e multiplicação da Obra Divina. Um líder consagrado não há como ocultá-lo, pois por si só ele é destacado onde chega ou está. Qual é o núcleo que mais cresce na igreja? Aquele em que o líder se consagra mais a obra de Meishu Sama. Qual é a igreja que mais cresce? Aquela em que o Ministro se consa­gra a ela.
 
Para finalizar, deixo as seguintes perguntas: Qual é o nível de consagração como discípulo que você está dando a obra de Deus? Até que ponto vai a sua dedicação e a sua entrega aos propósitos de Meishu Sama em relação à expandir o Reino de Deus?  Você está de fato comprometido com a expansão ou apenas participa com o que lhe sobra?
 
Consagração está relacionada com a Causa de Deus, com o servir a Meishu Sama. Quem se consagra, o faz para servir, trabalhar e se envolver em nível de comprometimento com a obra Divina.
Você decide se vai ficar preocupado e preso com as coisas efêmeras e passageiras desta terra ou consagrar-se a Deus e colocar seu Reino em primeiro lugar. Não esqueça: O Reino de Deus é expandido através dos vencedores. Mais uma vez usando a Bíblia, em Apocalipse diz assim: “O vencedor será assim vestido de vestiduras brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; e confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos”.
 
 
 
Que Deus e Meishu Sama abençoem a todos!!!                                                                                     
                                                      Reverendo Dorgival     
Newsletter
Cadastre seu e-mail e receba novidades exclusivas.
Nome: 
E-mail: 
Cidade: 
8209 Informe o
código ao lado:
 
 
Fone:
55 (11) 4227-4401 / 2341-2508
E-mail:
info@artedojohrei.org.br
Chat:
Fale Conosco
 
 
ASSOCIAÇÃO RELIGIOSA ARTE DO JOHREI
Rua Ibitirama - 629, Vila Prudente. São Paulo/SP.
55 (11) 4227-4401 - 2341-2508
info@artedojohrei.org.br
 
Sobre
Mais
- Arte do Johrei - Johrei
- Meishu Sama - Anima
- Divindades - Ensinamentos
- Donativos - Palestras
- Programação - Experiência de Fé
- Revista Makoto - Unidades
O SITE ARTE DO JOHREI - 2009/2014 - Todos os direitos reservados.