Palestras - Março 2015
Março 2015
PALESTRA: Quem não sabe  servir, não sabe o que é ter gratidão!
 
 
Boa noite a Todos!
 
Começamos este mês de março com muito aprimoramento, muita luta em vencer e superar todos os obstáculos que surgem em nosso caminho espiritual.
 
Muitas destas lutas são internas. Lutamos contra nosso desânimo, nossas dores, nosso egoísmo, nossa ansiedade, nossos temores. O nosso maior aprimoramento é saber aceitar  a purificação como sendo amor de Deus e não castigo, como muitos pregam. Também em nossas lutas, muitas vezes culpamos o negativo, satanás ou quem quer que seja, mas muitas vezes, quem nos colocou em situação de enfrentamento é o próprio Deus, querendo nos preparar para grandes missões. Se lerem a história de Meishu Sama, poderão ver como ele passou por sérias purificações.
 
A respeito dessa época, Ele escreveu:
 
“Uma vez que eu havia cortado a minha fonte de renda, tornou-se impossível saldar as dividas que ainda me restavam, e os agiotas começaram a me pressionar constantemente. Os agradecimentos em forma de dinheiro que eu recebia pela cura de doenças através da Fé eram quantias irrisórias, e tive de economizar ao máximo, agüentando viver nas mais precárias condições, a fim de poder saldar as dívidas aos poucos. Mas as coisas não corriam conforme eu esperava”.
 
Quando Mitiaki Okaniwa, que ficara de dedicar ao seu lado a partir de 5 de junho de 1930, chegou ao Shofu-So pela primeira vez, ficou assustado ao ver os papéis vermelhos lacrando os armários como sinal de embargo. Entretanto, num tom bem tranqüilo, o Fundador lhe disse: “Agora estou passando dificuldades, como pode ver, mas logo começará a chover dinheiro”.
 
Não lhe era nada fácil deixar a vida de cidadão comum para cumprir a grande incumbência que recebera de Deus. De fato, mais tarde, seu telefone foi cortado, por estar com o pagamento atrasado, e durante certo período houve dias em que seus únicos alimentos eram feijão fermentado e manjuba seca. Num poema que compôs nessa época, ele confessou:
 
“Passei a não ter vergonha, De usar um chapéu, Que por duas vezes
Fora mandado ao tintureiro.” Através desse poema, podemos imaginar a vida difícil que o Fundador levava e o seu esforço para suportá-la. No dia 30 de dezembro de 1930, ele registrou no diário:
 
“Como há muito não acontecia; Neste final de ano; Não precisamos sofrer por causa de dinheiro. Que alegria!” Esse poema canta, de forma sincera, o que o Fundador sentia naquela época. Anos mais tarde, ele escreveu:
 
“Finalmente decidi dedicar-me de corpo e alma, obedecendo à Ordem Divina. Como cinqüenta por cento eram vontade de Deus e cinqüenta por cento minha consciência, eu sentia maior segurança que as pessoas comuns, mas também sentia maior solidão que elas. Naturalmente, eu não tinha uma vida fácil, economicamente falando, e, em principio, só dispunha do suficiente para me manter durante alguns meses, não havendo qualquer perspectiva de renda certa. Era uma vida extremamente insegura, mas os seguidos milagres e Revelações interessantes me faziam esquecer a preocupação financeira, de modo que a vida se tornava realmente alegre.”
 
Dessa forma, podemos dizer que, não obstante a situação insegura, o Fundador seguiu firmemente o caminho para a salvação do mundo graças às sucessivas Revelações de Deus e às emoções, à convicção e à alegria que sentia por ver as pessoas serem salvas.
 
Vejam que Meishu Sama via em tudo a mão de Deus atuando. Nós, nestas situações, não temos gratidão, não reconhecemos Deus por trás de tudo o que nos ocorre. Começamos então uma campanha interna de chantagem emocional contra Ele. Reclamamos, dizemos que fomos abandonados, etc.
 
Mas, se conseguirmos sair deste buraco que nos impede de ver a vontade de Deus, poderemos despertar em nós o sentimento de gratidão que ficou ofuscado pela escuridão.
 
O que estimula muitas pessoas a fazerem algo de bom por alguém ou pelo mundo é, em grande parte, o reconhecimento.
 
Receber o reconhecimento de alguém por algo que fizemos, de uma maneira simplista, nos faz perceber que nos destacamos de alguma forma e que estamos contribuindo positivamente para atingir um objetivo (seja ele qual for), e de uma maneira extremista, talvez tendo Deus e Meishu Sama como foco do reconhecimento, nos faz crer que missão dada é missão cumprida e estamos prontos para um novo desafio.
 
A esse reconhecimento, podemos chamar de gratidão. Isso porque, servir é uma arte. Muito nobre, diga-se de passagem. Mas o ato de receber não fica muito atrás, ainda mais quando acompanhado da tal gratidão.
Nesse contexto, que fique bem claro que a gratidão não se resume a um mero agradecimento.  Ser grato é muito mais do que isso. A gratidão está no olhar, no abraço e costuma ser tão aparente, que quase sempre dispensa palavras.
 
E quem já ajudou a realizar o sonho de alguém sabe do que eu estou falando. E se você ainda não se inclui nesse time, acredite, você desconhece uma das melhores sensações da vida. Sugiro remediar isso logo. É viciante.
 
Tudo isso é possível, por meio dessa combinação fantástica do servir + receber + gratidão. O resultado não poderia ser outro a não ser IMPACTO. Um impacto sobrenatural na vida de quem ganha dignidade e bastante transformador na vida de quem ajuda a construir o sonho. A gratidão é recíproca. Plena e pura.
 
Gratidão é reconhecimento. Ninguém consegue nada sozinho. Portanto, pratique a gratidão e reconheça o valor daqueles que contribuem para o seu sucesso. A gratidão é um exercício diário e cumulativo. Novas conquistas e novas pessoas não excluem as antigas.
 
Se você sentir dificuldades pra entender tudo isso, procure fazer algo de bom por alguém. Vai ser fácil identificar o efeito da gratidão. Depois disso, é só sair espalhando por ai!
 
Servir a Deus é  um estilo de vida. É levantar olhar pela janela não importa se tem sol ou chuva, você esta com o coração grato, pois conseguiu dormir e esta vivendo o milagre de acordar!
É ter uma gratidão  tão transbordante em seu coração, que qualquer pessoa que olhe para você, já saberá. "ali está um servo do Deus altíssimo olha só como anda, como olha, como sorri, e como se comporta,  ah! ali esta caminhando um servo  de Deus!"
 
Dizem que de todos os sentimentos humanos, a gratidão é o mais efêmero de todos. E não deixa de haver algo de certo nisso. O saber agradecer é um valor em que pouco se pensa.
 
Ser agradecido é mais que saber pronunciar umas palavras de forma mecânica, a gratidão é aquela atitude que nasce do coração em apreço ao que alguém tem feito por nós.
 
A gratidão não significa devolver um favor: se alguém me serve uma xícara de café não significa que depois devo servir à mesma pessoa uma xícara e permanecer iguais… O agradecimento não é pagar uma dívida, é reconhecer a generosidade alheia.
 
O caminho para viver o valor da gratidão tem algumas características:
 
- Reconhecer nos demais o esforço para servir, se acostumar a agradecer e ser atento nos pequenos detalhes com as pessoas.
A pessoa que mais serve é a que mais sabe ser agradecida. Quem não sabe  servir, não sabe o que é ter  gratidão!
 
SER GRATO TE TRANSFORMA EM UMA PESSOA MAIS FELIZ!
 
Como demonstram estudos, uma parte da felicidade depende de nós. Pesquisas da psicologia positiva ainda mostram que a simples ausência de doenças e tristezas não fazem de você uma pessoa saudável ou feliz. De acordo com esta linha, devemos ter atitudes e investir em atividades que elevam nosso bem-estar.
 
Um dos sentimentos que melhoram o humor das pessoas é a gratidão, conforme mostrado pela ciência. Toda emoção nos predispõe a uma ação. A gratidão é um sentimento que nos faz querer servir ao mundo, nos lembra que coisas boas acontecem mesmo nos dias mais difíceis.
 
Eu posso afirmar que o templo Arte do Johrei é uma prova viva de gratidão.
Quem já sentiu gratidão por Meishu Sama, mesmo passando por dificuldades com pessoas, situações ou qualquer outra dificuldade, pode se afastar da igreja, mas em sua maioria não se afastam Dele. Nós seguimos os ensinamentos divinos, procurando não entrar no mérito de quem usa bem ou mal seus ensinos. Temos que mostrar através de nossa postura, quem somos nós e a que viemos.
 
Os senhores perceberam que falei muito sobre Servir e Gratidão e em momento algum falei de dinheiro. Mas por que será?
 
Aqui na Arte do Johrei, desde o começo, sempre purificamos financeiramente, da mesma maneira que Meishu Sama em seu início. Nunca obrigamos ninguém a fazer donativo, orientamos, mas não oprimimos. Claro que precisamos do dinheiro para pagarmos aluguéis, contas e tudo o que oferecemos aos senhores no Templo. Mas, quando a pessoa tem no Servir e na Gratidão, duas práticas que fazem seu coração brilhar de felicidade, ela consegue materializar seu donativo, com este mesmo sentimento. O dinheiro também precisa vir com alegria, para poder ser utilizado na construção e edificação de uma nova Igreja e também na  reforma íntima  da fé de cada servidor.
 
Gostaria de convidar todos aqueles que tem um enorme desejo de Servir na Obra Divina, para se unirem a nós, do Templo Arte do Johrei. Vamos fazer a diferença na vida de alguém! Vamos fazer a diferença para Deus e Meishu Sama, mostrar que não fomos escolhidos a toa. Vamos quebrar  as barreiras religiosas, sociais, culturais, raciais e também as barreiras emocionais.
 
Muitos querem dedicar conosco, mas foram ensinados a ter medo de purificar, como se fosse castigo e, pelo contrário, sinta-se amado por Deus, sinta-se amparado por Meishu Sama.
 
 
 
 
 
Que Deus e Meishu Sama abençoem a todos!!!                                                                                     
                                                      Reverendo Dorgival     
Newsletter
Cadastre seu e-mail e receba novidades exclusivas.
Nome: 
E-mail: 
Cidade: 
3568 Informe o
código ao lado:
 
 
Fone:
55 (11) 4227-4401 / 2341-2508
E-mail:
info@artedojohrei.org.br
Chat:
Fale Conosco
 
 
ASSOCIAÇÃO RELIGIOSA ARTE DO JOHREI
Rua Ibitirama - 629, Vila Prudente. São Paulo/SP.
55 (11) 4227-4401 - 2341-2508
info@artedojohrei.org.br
 
Sobre
Mais
- Arte do Johrei - Johrei
- Meishu Sama - Anima
- Divindades - Ensinamentos
- Donativos - Palestras
- Programação - Experiência de Fé
- Revista Makoto - Unidades
O SITE ARTE DO JOHREI - 2009/2014 - Todos os direitos reservados.