Palestras - novembro de 2010
novembro de 2010
PALESTRA :  Nossos pensamento e sentimento podem nos levar do céu ao inferno  num piscar de olhos.
 
 
 
Bom dia a todos!!!
 
Parabéns pelo esforço de estarem presentes nesta cerimônia de gratidão aos antepassados.
 
 Vamos Agradecer a permissão de estarmos vivos, desempenhando a missão a nós confiada.  Quero aproveitar e mandar saudações a todos os membros, a todos os ministros da Arte do Johrei espalhados no Brasil e no mundo , que também estão fazendo o culto hoje.
 
 Aproveito para mandar um abraço de esperança ao Reverendo José Arouca Junior nos Estados Unidos, ao Ministro Capitão Lutonda em Angola, que estão passando por purificação de saúde. Também parabenizar aos angolanos que semana que vem, dia 07 de novembro, devem inaugurar a Sede Central de Angola. Parabéns aos povos do Peru, Argentina, Venezuela, Panamá, México, Espanha, estamos juntos em oração.
 
Este culto solene dedicado aos antepassados nós celebramos uma vez a cada ano. Será que foi por acaso que a pessoa ao seu lado direito ou esquerdo ficou perto de vocês?
 
Será que essa pessoa do seu lado não foi alguém que tenha tido alguma afinidade com os senhores e por causa dessa afinidade foi colocado justamente ao seu lado hoje?
 
Quem sabe os senhores em vidas passadas causaram alguma mágoa nesse vizinho? Quem sabe o vizinho do outro lado não foi alguém que o magoou em alguma vida passada?
 
 E justamente hoje, sentam-se lado a lado, sem lembranças dessas mágoas. Isso demonstra que devemos amar e respeitar de coração um ao outro. Podemos dizer que todos que estão a nossa volta são nossos antepassados. Alguém com quem já tivemos afinidade ou alguma ligação em alguma vida passada.
 
Meishu Sama nos ensina que quando o homem desencarna e vai para o mundo espiritual, cada um vai para um nível diferente de acordo com o seu grau de elevação. Nesse ponto, o mundo espiritual é muito rigoroso. Lá não há permissão jamais de se encontrarem pessoas de níveis diferentes. Por isso não adianta ter apego.
 
Porém, quando o homem reencarna, ele ganha de Deus a permissão de conviver com pessoas de todos os níveis.
Quem estava no nível baixo, convivendo com quem estava no nível alto, vai aprender, vai aprimorar o seu espírito e adquirir novas qualidades.
 
Por outro lado, quem estava no alto, convivendo com alguém que estava num nível mais baixo vai precisar aprimorar a tolerância, a paciência, o amor altruísta, ganhando assim méritos espirituais.
 
Isso só acontece aqui no mundo material. Aqui é o local onde vamos resgatar  nossas dívidas passadas e  aprimorarmos nossa elevação espiritual. Devemos fazer o máximo para conviver em harmonia com os que estão próximos a nós, na sociedade, na família, no trabalho.
 
Devemos cultivar a tolerância e a paciência. Porque muitas vezes quem está sofrendo com alguém pode ser que em outra vida tenha feito essa mesma pessoa sofrer. Pode ter causado dores, mágoas, ódios e hoje, vivendo uma situação similar, acha-se injustiçado. É uma grande ilusão achar tudo acontece por acaso, temos que entender que tudo é regido pela LEI DA CAUSA E EFEITO.
 
Mesmo parecendo injustiça, mesmo não encontrando a  causa nesta vida, certamente a origem está em vidas passadas. Nesse sentido, ninguém sofre por acaso. Essa é a razão da causa estar sempre dentro de cada um. Não adianta procurar fora de si, culpando os outros. Quando você acusa alguém, julga alguém, você está na realidade, vendo seu reflexo mais intimo na pessoa a quem você acusa. Cuidado com as palavras, pensamentos e ações.
 
Somente aqui, neste mundo é que podemos resgatar as nossas dívidas. Se não resgatarmos agora, transferimos o resgate para a próxima encarnação.
 
Existem pessoas que se elevam cada vez que reencarnam. Mas existem também aquelas que não conseguem aprender, nem aprimorar. Essas regridem cada vez que reencarnam.  Meishu-Sama ensina que: “O homem pode elevar-se até o nível de uma divindade, ou cair  ao nível de um animal”.
 
 É importante sabermos perdoar e sabermos pedir perdão, é importante limpar as nossas mágoas e purificarmos nosso ódio ou rancor.
Assistindo a um filme recentemente, chamado NOSSO LAR, baseado num livro de Chico Xavier, médium espírita, ele retrata bem isso, mostrando uma pessoa que se elevou e ao vir a terra visitar seus descendentes, viu uma situação que lhe gerou ciúme e raiva. Neste momento, instantaneamente foi parar no umbral, depois, ao relembrar sua experiência neste nível infernal, se arrependeu e no mesmo instante voltou ao nível que se encontrava anteriormente.
 
Ou seja, nossos pensamento e sentimento podem nos levar do céu ao inferno  num piscar de olhos.
Precisamos ser solidários, fortalecendo as coisas boas e transformando o negativo em positivo nas pessoas com quem convivemos, seja em casa, no trabalho, na dedicação na igreja, etc.
 
Olhem novamente para o vizinho ao lado.  Pode abraçar, sentiu alguma afinidade diferente? Tentem dizer: Puxa! Há quanto tempo!
 
Assim somos nós. Uma verdadeira família unida pelo mesmo sentimento de fazer um mundo melhor baseado nos Ensinamentos de Meishu-Sama! Uma família unida, mas não fechada a novos integrantes...Sejam todos bem-vindos a uma nova etapa de salvação e evolução...
 
O ensinamento do culto de hoje é Entregar-se a Deus e recebi estes dias uma mensagem linda, que expressa esse confiar, essa entrega dos problemas a Deus.
 
 
Círculo de amor (ou a corrente do bem)


Uma senhora estava estacionada no acostamento de uma rodovia, quando ela viu um homem que se aproximava.
Ele quase não viu a senhora, com o carro parado no acostamento, mas percebeu que ela precisava de ajuda. Assim parou seu carro e se aproximou.

O carro dela cheirava a tinta, de tão novinho.
Mesmo com o sorriso que ele estampava na face, ela ficou preocupada. Ninguém tinha parado para ajudar durante a última hora. Ele iria aprontar alguma?

Ele não parecia seguro, parecia pobre e faminto. Ele pôde ver que ela estava com muito medo e disse:
- "Eu estou aqui para ajudar madame. Por que não espera no carro onde está quentinho? A propósito, meu nome é Bryan".
Bem, tudo que ela tinha era um pneu furado, mas para uma senhora era ruim o bastante.

Bryan abaixou-se, colocou o macaco e levantou o carro. Logo ele já estava trocando o pneu. Mas ele ficou um tanto sujo e ainda feriu uma das mãos. Enquanto ele apertava as porcas da roda, ela abriu a janela e começou a conversar com ele. Contou que era de St.Louis e só estava de passagem por ali e que não sabia como agradecer pela preciosa ajuda.

Bryan apenas sorriu enquanto se levantava. Ela perguntou quanto devia. Qualquer quantia teria sido muito pouco para ela. Já tinha imaginado todas as terríveis coisas que poderiam ter acontecido se Bryan não tivesse parado.

Bryan não pensava em dinheiro. Aquilo não era um trabalho para ele. Gostava de ajudar quando alguém tinha necessidade e Deus já lhe ajudara bastante.
Este era seu modo de viver e nunca lhe ocorreu agir de outro modo. Ele respondeu:
- "Se realmente quiser me reembolsar, da próxima vez que encontrar alguém que precise de ajuda, dê para aquela pessoa a ajuda que precisar".
E acrescentou: "... e pense em mim". Ele esperou até que ela saísse com o carro e também se foi.
Tinha sido um dia frio e deprimido, mas ele se sentia bem, indo pra casa, desaparecendo no crepúsculo.

Algumas milhas abaixo a senhora encontrou um pequeno restaurante. Ela entrou para comer alguma coisa. Era um restaurante sujo. A cena inteira era estranha para ela.

A garçonete veio até ela e trouxe-lhe uma toalha limpa para que pudesse esfregar e secar o cabelo molhado e lhe dirigiu um doce sorriso, um sorriso que mesmo os pés doendo por um dia inteiro de trabalho não pode apagar.
A senhora notou que a garçonete estava com quase oito meses de gravidez, mas ela não deixou a tensão e as dores mudarem sua atitude. A senhora ficou curiosa em saber como alguém que tinha tão pouco, podia tratar tão bem a um estranho. Então se lembrou de Bryan.

Depois que terminou a refeição, enquanto a garçonete buscava troco para a nota de cem dólares, a senhora se retirou. Já tinha partido quando a garçonete voltou. A garçonete ainda queria saber onde a senhora poderia ter ido quando notou algo escrito no guardanapo, sob o qual tinha mais 4 notas de $100 dólares. Havia lágrimas em seus olhos quando leu o que a senhora escreveu.
Dizia: "Você não me deve nada, eu já tenho o bastante. Alguém me ajudou uma vez e da mesma forma estou lhe ajudando. Se você realmente quiser me reembolsar, não deixe este círculo de amor terminar com você".
Bem, havia mesas para limpar, açucareiros para encher, e pessoas para servir. Aquela noite, quando foi para casa e deitou-se na cama, ficou pensando no dinheiro e no que a senhora deixou escrito.Como pôde aquela senhora saber o quanto ela e o marido precisavam disto?
Com o bebê para o próximo mês, como estava difícil! Ela virou-se para o preocupado marido que dormia ao lado, deu-lhe um beijo macio e sussurrou:

"Tudo ficará bem; eu te amo, Bryan".

Pense nisso, e ..... não feche esse círculo!
 
Que tenham uma vida cada vez mais abençoada !!!
 
Reverendo Dorgival
Newsletter
Cadastre seu e-mail e receba novidades exclusivas.
Nome: 
E-mail: 
Cidade: 
1785 Informe o
código ao lado:
 
 
Fone:
55 (11) 4227-4401 / 2341-2508
E-mail:
info@artedojohrei.org.br
Chat:
Fale Conosco
 
 
ASSOCIAÇÃO RELIGIOSA ARTE DO JOHREI
Rua Ibitirama - 629, Vila Prudente. São Paulo/SP.
55 (11) 4227-4401 - 2341-2508
info@artedojohrei.org.br
 
Sobre
Mais
- Arte do Johrei - Johrei
- Meishu Sama - Anima
- Divindades - Ensinamentos
- Donativos - Palestras
- Programação - Experiência de Fé
- Revista Makoto - Unidades
O SITE ARTE DO JOHREI - 2009/2014 - Todos os direitos reservados.